ICBJ PROMOVE MEMORÁVEL ENCONTRO DE CONFRATERNIZAÇÃO

O Instituto Cultural Brasil-Japão parece ter-se socorrido de Vinicius de Moraes – “A vida é a arte do encontro” – ao organizar o Encontro de Confraternização, realizado no dia 24/11, sexta-feira, em sua sede social. Tudo aconteceu com muito engenho e arte, entremesclando beleza e perfeccionismo nipônicos com descontração e empatia brasileiras. A arrumação do salão encantou a todos! Parabéns a diretores, professores, funcionários e outros pelo primoroso trabalho coletivo!

O evento, inserido nas comemorações do Sessentenário de Fundação do ICBJ, congregou os tradicionais parceiros da entidade, bem como seus diretores, conselheiros, professores, funcionários, amigos e demais convidados, envolvidos todos no mesmo clima de confraternização e de sã alegria.

O Presidente do Instituto Cultural Brasil-Japão, Dr. Sohaku Raimundo Cesar Bastos, ladeado pelos Senhores Yoshitaka Hoshino, Cônsul-Geral do Japão no Rio de Janeiro, Akiyoshi Shikada, Presidente da RENMEI, Minoru Matsuura, Presidente da Associação Nikkei do Rio de Janeiro, Kiyoto Hikichi, Diretor da Escola Japonesa, e Yssamu Takao, 1º Vice-Presidente do ICBJ, anunciou o ponto fulcral do encontro: agradecimentos.

Agradeceu ao Consulado-Geral do Japão e às instituições coirmãs pelo substancial apoio dado ao ICBJ ao longo dos anos; agradeceu aos membros da Diretoria, com quem dividia os encargos de gestão; agradeceu aos professores pelo histórico desempenho na otimização da proposta institucional da entidade; agradeceu aos funcionários pelo inquestionável zelo no cumprimento de suas tarefas; e agradeceu, por derradeiro, a quantos se haviam empenhado para o sucesso dos eventos comemorativos dos 60 Anos de Fundação do ICBJ, realizados na Câmara Municipal do Rio de Janeiro e no Club Municipal.

Os agradecimentos não pararam por aí. Todos foram convidados a deslocarem-se para o hall de entrada do ICBJ, onde se prestou louvável homenagem ao Sr. Yssamu Takao por sua exemplar história de vida em prol da comunidade japonesa e do intercâmbio cultural e de amizade entre brasileiros e japoneses. Fez-se-lhe o descerramento de placa comemorativa e a entrega de um quadro de oshiê, com inscrição alusiva ao 60º Aniversário de Fundação do ICBJ e aos seus relevantes serviços prestados à instituição.

De volta ao salão, o homenageado foi brindado com um tocante depoimento do Dr. Keizo Akamatsu, 2º Vice-Presidente do ICBJ, que lhe traçou a irrepreensível biografia. Recebeu ainda a homenagem da Sra. Miho Hikichi, que lhe dedicou a canção “Umi Yorimo Sora Yorimo”, a capela. A plateia aplaudiu-lhe muitíssimo a brilhante performance e pediu bis. A Sra. Miho Hikichi, cedendo aos apelos, retornou e interpretou, também a capela, “Manhã de Carnaval”. O Sr. Takubunji Nakamura, Diretor de Planejamento do ICBJ, solicitou a palavra para louvar o homenageado. Reportou-se à chegada de sua família ao Brasil, como imigrantes, havia 60 anos. Lembrou que, na época, tinha apenas seis meses de idade, que o Sr. Yssamu Takao trabalhava no Serviço de Imigração, acolheu sua família e pegou-o no colo. Cessadas as homenagens, o Sr. Yssamu Takao agradeceu, sensibilizado, em seu nome e de sua esposa, as generosas manifestações de carinho e de apreço.

Coube, em seguida, ao Sr. Akio Miyamoto, Secretário do Conselho Deliberativo do ICBJ, dirigir o brinde ao Sessentenário de Fundação do ICBJ e ao grande homenageado do dia, Sr. Yssamu Takao. Após os brados de Kanpai!, Saúde! e Viva!, iniciou-se animado serviço de coquetel, em meio à confraternização geral, destacando-se, no canto do salão, belíssimo bolo decorado com a nova logomarca do ICBJ – oferta da Sra. Harumi Urata, Assessora da Presidência.

O Encontro de Confraternização, capitaneado pelo Dr. Keizo Akamatsu, para agradecimentos a quantos haviam colaborado para o êxito dos eventos comemorativos do 60º Aniversário de Fundação do ICBJ, não poderia ter ocorrido em melhor ocasião: na sequência ao Dia de Ação de Graças. A inesperada coincidência associa, de pronto, os fundamentos históricos de um e de outro eventos: agradecer (a Deus e ao próximo).

Realmente, Vinicius de Moraes tem razão: “A vida é a arte do encontro”! Por mais díspares que possam ser as características de um e de outro, a convivência fraternal é possível. O Tratado de Amizade, Comércio e Navegação, celebrado entre Brasil e Japão, em 1895, foi um importante passo nessa direção. A proposta institucional do ICBJ, que vem sendo implementada, há 60 anos, alicerça-se no intercâmbio cultural e de amizade entre os dois países tão diferentes. É preciso acreditar e prosseguir, “de mãos dadas”! “Ut omnes unum sint”.

icbj-homenagem-60-anos