ICBJ PLANTA CEREJEIRAS NO ALTO DAS LARANJEIRAS

Foi um acontecimento memorável a solenidade de inauguração do Centro Cultural e Esportivo do Instituto Cultural Brasil-Japão no prédio da Rua Alice, 1.150, em Laranjeiras, realizada no dia 7 de outubro, com a presença do Sr. Cônsul-Geral do Japão, Tetsuya Otsuru e da Cônsul Cultural Rina Ishikawa. Presentes, também, ao evento dirigentes e/ou representantes de instituições coirmãs, empresas parceiras e membros dos órgãos da instituição.                              

O Dr. Sohaku Bastos, Presidente do Instituto Cultural Brasil-Japão, abrindo o evento, deu as boas-vindas a todos, em especial, ao Senhor Cônsul-Geral do Japão no Rio de Janeiro e à sua acompanhante, a Cônsul Cultural  e solicitou a todos que ficassem de pé para a execução dos hinos nacionais do Japão e do Brasil. Finda a execução dos hinos, iniciou sua fala discorrendo sobre a gênese do Instituto Cultural Brasil-Japão e seus sessenta e três anos de atuação em prol do intercâmbio cultural e de amizade entre o Brasil e o Japão.

Lembrou, em sua fala, que o intercâmbio e as relações diplomáticas entre o Brasil e o Japão se haviam iniciado com a assinatura do Tratado de Amizade, Comércio e Navegação assinado pelos dois países em 5 de novembro de 1895, em Paris; que a guerra interrompera o saudável inter-relacionamento e que o Instituto Cultural Brasil-Japão, fora criado pelo embaixador japonês Yoshiro Ando, em 1957, em apoio a um grupo de brasileiros, japoneses e nisseis, que tentava retomar os contatos.

Destacou a atuação do embaixador brasileiro Francisco Cavalcanti Pontes de Miranda na assembleia de fundação do ICBJ, tendo sido aclamado por todos no final da assembleia como 1º Presidente da instituição que se fundava; citou importantes personalidades da época que haviam assinado o livro de fundação; disse que o estatuto da entidade atribuía ao embaixador japonês o título de “Presidente de Honra do Instituto”, titulação transferida para o Cônsul-Geral do Japão no Rio de Janeiro, com a mudança da capital e a transferência da embaixada para Brasília.

Comentou a proposta institucional do ICBJ, desenvolvida ao longo de seus 63 anos e observou que sua sede social, doada pelo Governo Japonês, tornara-se pequena para acolher sua expansão, sobretudo com a recente criação das oito Academias Nipo-Brasileiras de Estudos e o surgimento de diversas parcerias, a serem abrigadas todas nos espaços de Laranjeiras.

Encareceu a importância da criação de uma escola nipo-brasileira em terreno adjacente, doado ao ICBJ, e a oferta de cursos de artes marciais e outros para a comunidade local, sem fins lucrativos, em caráter filantrópico. Concluiu sua fala com agradecimentos aos seus colaboradores, em especial, ao Sr. Keizo Akamatsu, 1º Vice-Presidente, condutor das reformas ocorridas na sede social, no Castelo, e no prédio de Laranjeiras. Estendeu seus agradecimentos a diversos outros membros da Diretoria, a quem citou nominalmente.

Falando, a seguir, o Sr. Cônsul-Geral do Japão, Tetsuya Otsuru, externou sua grande satisfação de estar presente a momento tão especial para o ICBJ. Exalçou o papel do Instituto na disseminação da cultura japonesa e a proposta de criação de escola para crianças carentes. Considerou a inauguração dos novos espaços um momento muito marcante e parabenizou o Presidente Sohaku Bastos e toda a sua Diretoria, desejando-lhes muito sucesso.

Já tendo sido distribuídas as taças com saquê a todos os convidados, o Sr. Akio Miyamoto, Secretário do Conselho Deliberativo do ICBJ, convidou a todos para o brinde pelo 63º aniversário do ICBJ. Todos, ao mesmo tempo, levantaram suas taças, repetindo, em uníssono: saúde! Viva! Kanpai! Iniciou-se, então, o serviço de saborosíssimo coquetel coordenado pela Sra. Satiko Sakatsume. Os comes e bebes foram interrompidos com o chamado do Presidente Sohaku Bastos para uma homenagem no sexto andar do prédio.

No 6º andar do edifício, ocorreu uma justa e merecidíssima homenagem ao Comte. Bruno de Lucena (Capitão de Mar e Guerra Reformado Paulo Bruno Lucena de Araújo) pela doação do Dojô. Houve descerramento da placa de agradecimento, entrega de quadro de oshiê pelo Presidente Sohaku Bastos e o 1º Vice Keizo Akamatsu, e falas de louvor do Senhor Cônsul-Geral do Japão, do Presidente Sohaku Bastos e do Sr. Tatsuki Watanabe. Também o Professor Oswaldo Simões, do Instituto Matsuyo Maeda, usando da palavra no encerramento do ato, louvou a proposta do ICBJ de estender a cultura japonesa àquela comunidade. Encareceu a importância dos valores da cultura japonesa e de seus frutos na comunidade. Todos, em seguida, foram convidados a retornar ao coquetel.

A impressão que realmente fica é a lição de aglutinação, fascínio e solidariedade da cultura japonesa. Veja-se o exemplo, mesmo no Japão, da floração da cerejeira (sakura). É esperar-se que as sementes que estão sendo plantadas hoje possam, no futuro, mudar comportamentos, fazendo brotar cerejeiras no alto das Laranjeiras.

João Baptista de Oliveira
Diretor-Secretário